Av. Octávio Hamilton Botelho Mourão, 6.200, Campus Universitário UFAM, Setor Sul, bairro Coroado 1. CEP 69080-900

Whatsapp +55 92  98138-2677


Viva Melhor


   


  29/03/2021


Lançamento da cartilha “Universidade sem Violência: um direito das mulheres” é reagendado para o dia 13



Em solidariedade às (aos) colegas pelo falecimento do professor Paulo Monte, a live de lançamento da cartilha “Universidade sem Violência: um direito das mulheres”, que seria realizada nesta terça-feira (30), foi adiada.

 

 

O evento virtual foi reagendado para o dia 13 de abril, às 19h (horário de Manaus), com transmissão pelo canal no YouTube da ADUA. A cartilha é um dos resultados da pesquisa “Violência contra as Mulheres na Universidade: uma Análise nas Instituições de Ensino Superior no Amazonas” e tem como proposta central ampliar a discussão e o combate à violência contra as mulheres nos espaços universitários.

 

 

A transmissão ao vivo terá a participação da coordenadora da pesquisa, professora Milena Barroso, a mediação da 2ª secretária da ADUA, Valmiene Sousa, e como atração musical, Celestina Maria (Participante do The Voice+) e Rosejane Farias, com acompanhamento de Wander Paulino (violão) e Elson Arcos (violoncelo).

 

Apoio

 

 

A ADUA – que apoia a iniciativa – disponibilizará a versão digital da cartilha para download e a distribuição de exemplares impressos para o(a)s docentes da Ufam. A 2ª secretária do sindicato, Valmiene Sousa, afirma que o lançamento da cartilha é um marco para a campanha da ADUA por universidade sem violência, com intenção de provocar o debate e a mudança institucional para o enfrentamento desse fenômeno.

 

 

“O nosso sindicato entende a necessidade que o tema precisa ocupar tanto na pesquisa científica quanto na nossa luta política, campos que são imbricados, pois muitas mulheres têm sofrido, adoecido e, muitas vezes, sido impedidas de permanecerem em um ambiente seguro”, afirmou a professora.

 

 

Estudo

 

 

A pesquisa “Violência contra as Mulheres na Universidade: uma Análise nas Instituições de Ensino Superior no Amazonas” contou com a participação de 1.166 pessoas das comunidades acadêmicas das instituições públicas de ensino superior do estado: Instituto Federal do Amazonas (Ifam), Universidade do Estado do Amazonas (UEA) e a Universidade Federal do Amazonas (Ufam). Os principais dados da pesquisa foram divulgados no dia 8 de março (Dia Internacional da Mulher), como parte das ações de resistência do movimento feminista e de mulheres em todo o Brasil.

 

 

Do total de participantes da pesquisa, 38% afirmaram que foram vítimas de algum tipo de violência na universidade nos últimos cinco anos. Os resultados apontam também que mulheres e homens são vítimas de violência, mas a prática é predominantemente executada por homens, em um percentual que chega a mais de 85%. Entre os registros estão: assédios moral e sexual, estupro, discriminação social, racismo, xenofobia, homofobia, lesbofobia e transfobia.

 

 

Das pessoas consultadas, 65% são mulheres, 32% homens e um percentual de quase 2% se identificaram como de outro gênero. O estudo envolveu uma equipe multidisciplinar de pesquisadore(as), com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam). A coleta de dados foi realizada em 2020 por meio de visitas, entrevistas, formulário digital e webnário para fomentar as discussões.

 

 

Para a coordenadora da pesquisa, os resultados são muito importantes porque a universidade não está isenta das contradições que constituem a sociedade. “Precisamos compreender a violência contra as mulheres nas universidades como uma questão séria e um grave problema que dificulta em vários aspectos a participação das mulheres no espaço acadêmico. O assédio foi a principal expressão relatada pelas participantes da pesquisa, mas a deslegitimação de falas e o questionamento a competência para exercer cargos e participar de determinados estudos também foi revelado no estudo. Além disso, a ausência de serviços de proteção às mulheres é um desafio que às instituições de ensino superior precisam enfrentar, afinal uma universidade sem violência é um direito de toda a comunidade acadêmica”, afirmou Milena Barroso.

 

 

Livro

 

 

Além do levantamento de dados nas instituições de ensino do Amazonas e da cartilha sobre o tema, a pesquisa “Violência contra as Mulheres na Universidade: uma Análise nas Instituições de Ensino Superior no Amazonas” também resultou na produção de um livro com previsão de lançamento ainda no primeiro semestre de 2021 e que conta com a participação de diversas autoras que estudam a violência contra a mulher e o sexismo no ambiente acadêmico.

 

Fonte: ADUA

 

Leia mais

 

Violência contra a mulher é problema crônico nas universidades, revela pesquisa

 

 



Galeria de Fotos
 

 

COMENTÁRIO:


NOME:


E-MAIL:

 






energia solar manaus

Manaus/Amazonas
Av. Octávio Hamilton Botelho Mourão, 6.200, Campus Universitário UFAM, Setor Sul, bairro Coroado 1. CEP 69080-900

energia verde

CENTRAL DE ATENDIMENTO:

+55 92  98138-2677
aduasindicato@gmail.com

ADUA DIGITAL